domingo, 21 de setembro de 2008

Passaporte de entrada para a Revista A+

Por Raphael Dias Nunes


O Processo Seletivo da Areté Editorial S/A (Grupo Lance!)

Depois de uma prova que envolveu conhecimentos gerais, conhecimentos esportivos, 3 redações, prova de lógica, 2 questões discursvias-argumentativas e uma tradução de um texto em inglês; veio a entrevista.

Na entrevista, apresentei meu currículo e logicamente fui muito bem, pois apresentei meus (nossos) trabalhos brilhantes do CHORUME. Depois da entrevistadora ter ficado perplexamente impressionada com o talento e brilhantismo dos posts do CHORUME, ela me pediu ainda para fazer uma "matéria" sobre alguma experiência de trilhas minha.

Diante de tal desafio, desenvolvi o seguinte trabalho, que repasso aqui, na ÍNTEGRA.


"
PEDRA DA GÁVEA
Uma subida inesquecível

Localizada entre os bairros da Barra e de São Conrado, a Pedra da Gávea é um dos pontos mais visitados pelos trilheiros e turistas do Rio de Janeiro. Em sua composição, um imenso bloco de pedra, que se estende do mar até 842 metros de altitude. Aparentemente, parece impossível conseguir conquistar o seu topo, mas há uma trilha de acesso relativamente fácil que permite qualquer aventureiro chegar até seu cume. A entrada se dá por um condomínio no início da Barra, que fica na Estrada Sorimã, número 932 (nas proximidades do bar do Oswaldo). É permitida inclusive a entrada de carros.

A trilha mescla momentos fáceis e difíceis e exige um bom preparo físico, pois em algumas vezes, é necessário escalar. Mas o esforço é muito bem recompensado com o visual que se tem de cima da Pedra da Gávea, um dos mais bonitos (senão o mais) do Rio de Janeiro. Além do mais, a trilha é rodeada de mistérios e lendas, o que torna o passeio ainda mais curioso. Do alto, a vista em 360
º, pode-se visualizar as zonas sul e oeste da cidade, além de picos como o morro do Corcovado, o Gigante Adormecido, Pedra Bonita e até o Dedo de Deus.

A trilha


A subida é bastante cansativa e pode ser feita em aproximadamente 2 horas de caminhada e
escalada, se o grupo (ou o indivíduo) mantiver um bom ritmo. Pela frente, o visitante terá um longo caminho que pode ser dividido em três partes:

Em seu primeiro terço, a trilha é feita sem grandes dificuldades e
segue pela mata fechada. Este trecho é bastante sinuoso e em alguns momentos, pode-se perceber algumas setas amarelas para indicar o caminho certo. A caminhada vai até a Pedra do Navio, que de cima dela, se tem um mirante com uma vista parcial para o início da Barra. A partir daí, a trilha começa a ficar mais inclinada, com muitas subidas por troncos e pedras, que exigem pernas e braços em pequenas escaladas que não oferecem perigo. O segundo terço termina na entrada de uma grande área plana (praça da Bandeira), utilizada muitas vezes para se fazer um breve intervalo de descanso.

A parte final é pedreira. Literalmente. É a mais bonita, cansativa e – logicament
e – alta. A vegetação começa a se abrir e com isso o visual torna-se cada vez mais incrível, podendo-se ver a face nordeste da pedra, que impressiona por seu formato de rosto de ancião. Mais à frente, chega-se ao local que é considerado o mais crítico da subida: A Carrasqueira. Um amontoado de rochas, onde a escalada é inevitável. Temida por muitos, é justamente lá que muitas pessoas desistem e se acidentam também. Por isso, todo cuidado é pouco. O rochedo se divide basicamente em três grandes fendas. Na subida, é preferível utilizar a fenda do meio, por ter mais pontos de apoio. Superada a dificuldade e o cansaço da Carrasqueira, a trilha ainda segue por caminhos estreitos que devem ser seguidos com muita atenção, devido às constantes erosões que ali ocorrem.

DICAS PARA UMA SUBIDA MARAVILHOSA

- Evite trajes pesados e chinelos, tênis novos também não são recomendados

- Leve pelo menos 2 litros de água por pessoa

- Por ser uma trilha muito longa, é sempre bom levar alimentos para um lanche no topo. Frutas são os mais recomendados.

- Cuidado para não danificar a trilha e nunca deixe lixo nela. O parque pertence à todos, portanto deixe-o sem altera-lo.

- Antes de subir, fique sempre atento à previsão do tempo. Uma chuva pode tornar o passeio perigoso. O dia limpo facilita a visibilidade.

- Se for iniciante, é recomendável utilizar um guia, ou alguém que já conheça a trilha

- Nas subidas noturnas, use lanternas para iluminar o caminho e leve casacos

Aproveite o passeio!

Fotos: Raphael Dias Nunes

"


E foi assim que eu consegui entrar para a Revista A+, do grupo Lance! . Coincidência ou não, a matéria de capa da primeira edição que eu trabalhei, foi sobre trilhas. Subi a Pedra do Quilombo (Jacarepaguá) e fiz uma escalada na Enseada do Bananal (Itacoatiara/ Niterói).

Segue o link da matéria: http://www.lanceamais.com.br/?p=313

E das vídeo-reportagens:
http://www.lanceamais.com.br/?p=185
http://www.lanceamais.com.br/?p=98


Saudações Chorumélicas!

2 comentários:

Gabriel Mattos disse...

Excelenteeee idéia meu garotoo..

Belo trabalho, tanto que lhe rendeu um bom estágio...

Interessante a idéia de publicar esse seu texto de "gaveta"!!!

"Dani Monteiro"!!!!

abss...

mayllap disse...

parabéns mocinho!!